Imprimir

Pré-projetos de mestrado e monografias de final de curso em Linguística Aplicada: Área de Concentração: Ensino de Línguas

Escrito por José Carlos Paes de Almeida Filho.

1. Algumas idéias para começar a conceber um projeto

Uma monografia é um trabalho acadêmico que pode ser desenvolvido como um ensaio estendido sobre um tópico delimitado. Um tópico como, por exemplo, violência urbana, vai ser localizado dentro de um tema com maior amplitude (o tema da violência) localizado numa agenda atual de estudos ou pesquisa ou na agenda mais abrangente de temas já explorados na área. Um pré-projeto pode ser entendido como uma proposta de um futuro projeto. Ele pode se originar de uma questão construída dentro de um projeto maior já instalado, pode decorrer de uma monografia ou ensaio elaborado anteriormente ou se constituir numa proposta nova de tópico a ser sistematicamente explorado prevendo-se como serão no futuro conduzidas a observação, as leituras direcionadas ao tópico, a coleta de registros e o tipo de análise a ser realizada de alguns desses registros chamados erroneamente de dados já nessa altura, sem que análises tenham sido produzidas.

2. Reconhecer um projeto na agenda nacional de pesquisa

Chamamos de pré-projeto uma versão inicial do que será, eventualmente, uma proposta mais elaborada e fundamentada de um tópico de pesquisa. Qual é a sua área e subárea? Se a Lingüística Aplicada for a área, qual a definição dela que vai te acompanhar de início? Quem são os lingüistas aplicados mais reconhecidos na sua subárea no país e no cenário internacional? Onde V. acha que encontraria informação sobre a agenda de pesquisa praticada no país e exterior? Veja, por exemplo, o rol de temas levantados por Almeida Filho (2007) para a subárea de Ensino de Línguas num artigo recente:

Agenda de temas atuais de pesquisa em Linguistica Aplicada

  • Sub-Área de Ensino-Aprendizagem de Língua(s)
  • Crenças, teoria informal, competência implícita, culturas de aprender e ensinar línguas.
  • Formação de professores de língua(s) via paradigma reflexivo e em modalidades distintivas como a colaborativa
  • O ensino de língua(s) diagnosticado dentro das limitações de contextos típicos de aprender/ensinar nas escolas brasileiras (focalizando principalmente o livro didático)
  • Interlíngua em desenvolvimento normal, sinais de estabilização, correção e tratamento de erros
  • Explicitação e implicitação no ensino, graus de interface, gramática e significados construídos no envolvimento do aprendiz
  • O processo de ensino e de aprendizagem instaurado pelo ensino comunicativo interdisciplinar, problematizador ou instrumental
  • Explorações teórico-práticas dos paradigmas comunicacional (teoria de ensino/aprendizagem de línguas) e reflexional (teoria de formação de professores).
  • Competências de professores e alunos
  • Questões identitárias dos usuários e aprendizes de língua(s)
  • Interação: qualidade, geração de insumo, poder dos participantes, construção de discursos de sala de aula,
  • Novas tecnologias no ensino-aprendizagem de língua(s)
  • Letramento e oralidade na escolarização
  • Gêneros discursivos e ensino de língua (principalmente os da língua escrita)
  • Aplicação de teoria lingüística: conceitos lingüísticos, sociolingüísticos, discursivos, psicolingüísticos, da gramática gerativa, lingüística de corpus.

Você consegue perceber quais dessas frentes ou outras são exploradas por professores pesquisadores do programa de pós-graduação ao qual V. será candidato(a)? E V. pode discernir em que centros ou programas de pós-graduação esses temas têm sido desenvolvidos com mais força?

3. Caminhos de se chegar ao projeto

O monografista ou projetista pode fazer um exercício de aproximação gradual do tema e tópico começando por perguntar: o que me interessa estudar mais a fundo? Em que assuntos ou aspectos do ensino de línguas estou interessado? O que tenho observado ser um ponto a ser estudado na minha experiência profissional? Pode ser comum uma resposta genérica como: leitura, oralidade, modos de aprender do aluno (estratégias, crenças), formação do(a) professor(a) ou do aluno, ensino instrumental. O proponente da monografia ou pré-projeto deve, a seguir, anotar dois ou três candidatos genéricos a tópicos de pesquisa para daí começar tentativas de delimitação do assunto a ser pesquisado. A partir do conjunto acumulado, o interessado em produzir um estudo reduzirá a lista a um ou dois tópicos sobre os quais se farão propostas muito preliminares de estudo a um potencial professor orientador. Antes, conheça a produção de quem é potencialmente um orientador ou uma orientadora desse trabalho. O tópico poderia ser articulado com a produção desse orientador ou orientadora? Essa primeira exploração de prováveis tópicos servirá como uma espécie de guia para a delimitação do tópico que vier a ser considerado o mais adequado às condições.

Outro caminho útil para se chegar à definição de um tópico é a leitura intensa de artigos de revistas, livros, outras monografias, dissertações e teses da área. V. sabe dizer quais são algumas das mais importantes revistas da área? Conhece alguns dos mais citados livros e artigos na área? Tem acesso a alguma biblioteca onde estão dissertações e teses? Anotou alguns títulos de provável interesse? Saberia acessar as páginas eletrônicas de programas brasileiros de pós-graduação na área de ensino de línguas/lingüística aplicada?

Faça, então, um esboço de proposta por escrito tentando obedecer, grosso modo, à seguinte estrutura (cf. sugere Almeida Filho, 2007):

TÍTULO
INTRODUÇÃO (ao final dela uma pergunta de pesquisa)
FUNDAMENTAÇÃO (principais fontes – autores e textos)
RESULTADOS ESPERADOS
CRONOGRAMA DE FASES
BIBLIOGRAFIA

Com um texto na mão comece por aproximar-se de um ou mais possíveis leitores. Algum orientador potencial pode, assim, entrar na sua mira. Avance! Ouça bastante. Preste atenção em como se pode falar e escrever sobre tópicos da área. Anote idéias ou grave-as pedindo consentimento aos consultores para utilizá-las no seu texto, se for o caso. Pense, leia mais e reescreva o texto a ser submetido como um pré-projeto.

4. Concluindo

Neste texto, foi mostrado um percurso típico de se chegar à definição de um tópico para estudo sistemático. Geralmente essa fase é reconhecida como o início da fase científica de busca do conhecimento pela observação e análise de evidências mediante procedimentos específicos e com fundamentação teórica citável. Professores de língua(s) ou estudantes de graduação em estágios finais, alunos de especialização e mesmo mestrandos vão reconhecer nas instruções aqui propostas um itinerário comum em projetos de natureza aplicada, isto é, projetos voltados para questões de uso e aprendizagem ou ensino de uma língua-alvo em contextos reais. Algumas fases da montagem do pré-projeto ainda representarão desafios ao projetista noviço mas lançar-se na estrada com algum preparo inicial será seguramente mais confortável e promissor. O caminho, depois, irá se redefinindo na própria marcha como no adágio poético espanhol: caminante no hay camino, el camino se hace al andar.

José Carlos Paes de Almeida Filho
Professor Dr. do Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada da Universidade de Brasília
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
 

Referências

ALMEIDA FILHO, JCP A produção de projetos iniciais sobre o processo de ensino-aprendizagem de línguas. In Almeida Filho, JCP & Cunha, MJC “Projetos Iniciais em Português para Falantes de Outras Línguas”. Campinas: Pontes Editores, 2007 (em co-edição com a Editora da UnB, Brasília)

_________ O fazer atual da Lingüística Aplicada no Brasil: foco no ensino de línguas. In Kleiman, A.B & Cavalcanti, M.C. “Lingüística Aplicada: Suas Faces e Interfaces”. Campinas: Mercado de Letras, 2007

_______ A diferença que faz uma formação universitária aos alunos de graduação. In Paschoal Lima, Regina Célia C. (Org.) Leitura: Múltiplos Olhares. Campinas: Mercado de Letras, 2005. (pp 103-110)

Pin It

Comentários  

 
+1 # Parabéns!Odila 24-10-2010 10:34
Muito bom teu texto, orienta ao mesmo tempoo que baixa a ansiedade em relação aos projeto.
Responder | Responder com citação | Citar
 
 
0 # Excelentemaria elia 25-11-2010 23:25
Muito esclarecedor e bastante relevantes as informações sobre o projeto de pesquisa,vale a pena conferir :lol:
Responder | Responder com citação | Citar
 
 
0 # Muito bom!!!Jaqueline Borges 15-01-2011 14:21
Muito bom mesmo...me ajudou bastante...esta va perdida sobre o tema da minha monografia p o curso de lingua espanhola, acho q a partir de agora começou a clarear no q farei...
Responder | Responder com citação | Citar
 
 
0 # Excelente!!Vania Castro 23-03-2011 22:27
Parabéns pelo artigo, muito bom, aliás excelente! Me ajudou em realação aos passos que devo seguir e a estrutura do projeto, mas ainda estou com muitas duvidas em relação ao tema! Vou seguir as dicas de leitura!
Responder | Responder com citação | Citar
 
 
0 # Esclarecedor!Edna Riicarte 28-03-2011 17:33
Agradeço ao professor pela iniciativa de esclarecer sobre os passos para se chegar à criação de um projeto de Mestrado. Estou no caminho e caminhando.
Responder | Responder com citação | Citar
 
 
0 # Esclarecedor!Edna Riicarte 28-03-2011 17:33
Agradeço ao professor pela iniciativa de esclarecer sobre os passos para se chegar à criação de um projeto de Mestrado. Estou no caminho e caminhando.
Responder | Responder com citação | Citar
 
 
0 # ExcelenteAdelane Almeida 31-03-2011 21:32
Parabéns professor pela iniciatica de esclarecer sobre essa que uma das maiores dificuldades dos acadêmicos, passarei adiante para meus colegas.
Responder | Responder com citação | Citar
 
 
+1 # estudante de letras/inglês e letras/librasPaulo ricardo 21-06-2011 09:35
antes não entendia muito, depois dessa leitura através desse site eu estou ciente de como deve funcionar um projeto. agradeço pela a informação de primeira mão que nem sempre obtemos com os mestrandos. parabéns professor por essa infomrção de grande importância para quem pretende cursar um mestrado ou um doutorado
Responder | Responder com citação | Citar
 
 
0 # agradecimentoJoão 20-09-2011 18:23
Muito obg, prof., pelo texto. Nao sabe há quanto tempo tenho estado nesta luta chamada "pré-projeto" por "n" motivos. Abç.
Responder | Responder com citação | Citar
 
 
0 # ExcelenteVânia Castro 03-10-2011 13:18
Olha, essa materia me ajudou bastante quando escrevi meu projeto! Estava sem noção de como iniciar, um pouco indecisa, mas quando li abriu mais a minha mente! Parabéns!
Responder | Responder com citação | Citar
 
 
0 # agradecimentoIvana 18-08-2012 08:23
Adorei essas dicas, me ajudaram bastante. Bjs!
Responder | Responder com citação | Citar
 

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar